7 dicas para a redução dos custos de frete

7 dicas para a redução dos custos de frete

7 dicas para a redução dos custos de frete

Muitas empresas buscam alternativas para a redução do frete, uma vez que esse é o valor que mais pesa na execução das atividades produtivas e, em grande parte, influencia na decisão do consumidor.

Não é incomum vermos pessoas que deixam de comprar produtos justamente porque ao finalizar a compra, perceberam que o valor do frete ficaria muito alto.

Mais do que um problema para o consumidor, isso também causa transtornos à empresa, pois muitas vezes os empreendedores também arcam com os altos valores de frete, devido às variações do preço do combustível, e acabam perdendo vendas.

Por esse motivo, o artigo de hoje vai trazer algumas dicas para a redução dos custos de frete, tornando a operação mais eficiente e barata. Acompanhe a leitura!

1 – Observe os custos do frete

O planejamento é o passo mais importante para qualquer atividade corporativa, incluindo a parte logística.

É necessário encontrar soluções que ajudem a reduzir o custo do frete, por exemplo, fazendo a comparação de preços com entregas rápidas, as políticas das empresas, entre outros pontos que devem ser considerados na hora de fechar um negócio.

Assim, através da criação de um plano em que se identificam os pontos que precisam de melhorias, é possível verificar se há etapas desnecessárias e que podem ser eliminadas, como forma de reduzir o custo do frete.

Importante ressaltar que toda mudança deve ser cuidadosamente avaliada, levantando os impactos e a forma que eles podem afetar a qualidade do serviço.

Desse modo, é possível evitar problemas que possam comprometer a entrega final aos clientes, gerando insatisfações.

2 – Determine o custo de cada etapa

Na hora de fechar um serviço de frete, quando sua empresa não terceiriza esse serviço, é recomendável determinar separadamente o preço de cada uma das etapas envolvidas no transporte. Assim, fica mais fácil contabilizar o valor final e perceber em qual momento o custo é excessivo.

Em geral, as divisões são realizadas da seguinte forma:

  • Coleta;
  • Frete peso (do centro de distribuição até o destino);
  • Entrega;
  • Impostos envolvidos.

Das quatro etapas acima, a única que não é negociada é a parte de impostos. Ainda assim, vale ter em mãos e disponibilizar toda a entrega de documentos para não pagar valores a mais cobrados indevidamente.

Nesse contexto, vale dizer que na etapa da coleta, é preciso ter um volume diário de cargas. Por vezes, se a coleta for diária, porém a quantidade de mercadorias é baixa, não justifica o custo.

No frete peso, dá para economizar bastante se você conseguir enviar o máximo de cargas no mesmo dia, pois isso reduz o custo de coleta do transportador. Inclusive, é possível pedir algum desconto.

A entrega é a parte mais complicada. Isso porque, dependendo da localidade, o custo do frete pode ser maior. Por isso, faça uma cotação com os transportadores, para verificar o melhor preço, mas sem perder a qualidade.

Até porque, é aqui que a sua mercadoria passa a ser entregue aos clientes – e não dá para deixar de lado a segurança do envio.

3 – Contrate parceiros de confiança

Quando não é possível ou não é desejo assumir o serviço de frete é de extrema importância que os seus parceiros sejam confiáveis. Isso vale para todos os tipos de frete, desde um serviço de motoboy até a contratação de transportadoras internacionais.

Os seus parceiros devem oferecer condições de pagamentos competitivas no mercado, além de segurança para a distribuição de cargas.

Outro ponto importante que deve ser levado em consideração, é a busca por satisfatórios, controlando o nível de qualidade do serviço, avaliando se a maioria das cargas são entregues dentro da data marcada, além de evitar reclamações dos clientes e extravios.

Aqui, mesmo que você tenha muita confiança nos parceiros, vale a pena estabelecer contratos de frete com cláusulas que penalizam a transportadora quando houver o descumprimento das condições previamente estabelecidas entre as partes.

Novamente, essa documentação vale para todos os tipos de serviços, desde um simples contrato motoboy até outros tipos de atividades logísticas.

Nesse ponto ressalto que às vezes não teremos opções, como para um e-commerce que está começando e acaba que é mais viável usar o Correios mesmo que em muitos momentos não pareça confiável.

Tudo tem que ser colocado na balança, grandes e-commerces como o Mercado livre, por exemplo, já possuem serviços de fretes próprios além de usar os correios, tudo é uma questão de avaliação e capacidade.

Foque no cliente e busque a melhor solução.

4 – Agende a entrega com os clientes

O agendamento de entregas com clientes é uma iniciativa muito eficaz na redução do custo de frete através dessa medida, é possível aproveitar o tempo maior para consolidar as cargas dentro da sua localidade, além de otimizar os serviços de roteirização no transporte.

Desse modo, quanto mais bem roteirizado é o seu transporte logístico, maior é a redução de custos com combustível, manutenção dos veículos, pneus, pedágios, entre outros.

Essa é uma solução muito válida para entregas pulverizadas, ou seja, para clientes que compram poucos volumes por vez.

Por exemplo, um consumidor que adquire camiseta dry fit amarela pode combinar a entrega com a empresa. Inclusive, há a opção de retirada na loja. Isso é vantajoso tanto para o empreendimento quanto para o cliente, já que o custo de frete é reduzido.

No entanto, é preciso avaliar a viabilidade de implementar esse tipo de operação, tendo em vista que nem todos os clientes podem concordar em receber suas cargas em dias específicos, ou ainda retirá-las na loja.

Mas vale a pena ressaltar os benefícios desse tipo de negócio. Uma vez que é possível ter uma previsibilidade maior com relação às entregas, fato que pode ser usado como justificativa para troca da operação.

5 – Utilize ferramentas e softwares de gestão

O avanço tecnológico foi muito vantajoso para o setor logístico. Com ferramentas cada vez mais aprimoradas é possível ter um controle maior das operações de transporte, coleta e armazenamento das mercadorias.

Aliás, existe um jargão na área de administração que diz “não se controla aquilo que não se mede”.Isso quer dizer que é importante saber como o dinheiro será gasto, caso contrário dificilmente será possível criar ações assertivas para a redução dos custos de frete.

Importante ressaltar que as ferramentas tecnológicas podem ajudar em todos os trabalhos logísticos, desde a coleta de produtos e insumos, até mesmo ações como van fretamento.

Ou seja, a simples adoção de ferramentas tecnológicas de gestão logística é capaz de reduzir significativamente os custos, bem como agilizar os processos e contribuir com o aumento da produtividade.

Algo que merece destaque, é a diminuição dos índices de erros, eliminando a necessidade de retrabalho, especialmente em relação às falhas humanas.

Além disso, ainda na gestão de transportes, essas ferramentas tecnológicas ajudam a ter controle maior sobre as operações, o que permite que todos os custos de frete sejam conhecidos pelos gestores, permitindo orientar melhor as ações de redução de preços.

Dessa forma, dá para acompanhar em tempo real em um software para loja de roupas onde um kimono infantil judô está sendo transportado, bem como os valores envolvidos em toda a cadeia logística.

Por fim, vale dizer que existem algumas ferramentas tecnológicas que emitem relatórios detalhados, oferecendo uma visão muito mais ampla ao gestor, além de informações reais que são a base para as tomadas de decisão.

6 – Acompanhe os indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho também são importantes métricas para avaliar quais são os custos envolvidos em toda a operação logística.

Por exemplo, dá para saber o custo da coleta de sacola supermercado por região ou por rota, dependendo da modalidade escolhida pela empresa ou usando o indicador de vendas diárias é possível mensurar estratégias de diminuição de custos determinado melhor horário, quantidade de veículos, terceirizar ou assumir o serviço de entrega e etc.

Assim, por meio dos resultados obtidos pelos indicadores de desempenho é mais fácil identificar os erros, bem como as causas prováveis envolvidas em cada operação.

A partir disso, todo processo de tomada de decisão e a implementação das ferramentas para melhorias estratégicas de gestão, tornam-se mais ágeis.

Alguns indicadores do Software da INNET Soluções

7 – Invista em rotas inteligentes

Os gastos com combustíveis estão entre os maiores das empresas de frete. Diante disso, pode-se afirmar que uma das maneiras mais eficazes de reduzir o custo do frete é por meio do planejamento de uma rota inteligente.

Aqui, é necessário analisar todas as variáveis envolvidas no processo, como prazo, distância do destino, gasto com combustível, restrições do trânsito, entre outros pontos envolvidos no transporte de mercadorias.

Ferramentas tecnológicas também podem ajudar na elaboração de rotas inteligentes, já que elas permitem uma roteirização rápida com base em dados de GPS, para escolher o melhor percurso.

DICA: Usando o google maps você conseguirá ver a melhor rota, adicionar paradas e calcular o tempo de viagem, tudo usando um recurso gratuito.

Conclusão

Reduzir os custos de frete de uma empresa não é nada simples e fácil. No entanto, é uma forma de garantir a competitividade do mercado, conquistar clientes e ainda aumentar a margem de lucros.

Além do mais, é uma forma de fazer com que o seu negócio seja bem visto pelo público. Afinal de contas, os clientes dão preferência para compras em lojas que oferecem um preço acessível de frete.

O artigo de hoje buscou trazer algumas dicas de como investir nessa redução de gastos envolvidos no transporte.

Percebe-se o quão importante é ter ao lado ferramentas tecnológicas para gestão, pois elas colaboram diretamente com a produtividade e a eficiência dos trabalhos logísticos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.