Co-branding: o que é e 4 benefícios

Co-branding: o que é e 4 benefícios

Co-branding: o que é e 4 benefícios

Por meio do co-branding muitas empresas, da mesma área ou de setores co-relacionados, vêm unindo forças de atuação e ideias de campanhas para lançar seus produtos e serviços em parceria, juntando forças para colocar em evidência as potências de suas marcas.

Ainda que esta seja uma temática atualmente discutida e difundida no mundo inteiro, a técnica está longe de ser uma novidade.

Visto que hoje em dia já existem grandes cases de empresas que, dentro de uma parceria, conseguiram chegar além de seus objetivos.

Ao longo do texto abaixo vamos entender um pouco mais sobre o co-branding e quais suas principais vantagens para empresas que resolvem se unir em um momento tão decisivo e único no processo de compra: o encantamento do cliente pela marca.

Afinal, o que é e como funciona o co-branding?

Imagine que sua empresa deseja conquistar um mercado voltado apenas para clientes do ramo de creme hidratante para o rosto, ainda que você não seja uma marca que produz esse produto. Por meio do co-branding, é possível alcançar esse objetivo.

Para início de conversa, devemos entender melhor o conceito da palavra branding, que em português significa algo próximo de atuação de marca.

É o branding que determina a presença e a identidade de uma marca de forma sólida, e é o que possibilita um interesse.

Geralmente, marcas que trabalham seu branding não estão apenas focadas em uma simples venda ou no relacionamento cada vez mais direto com seus consumidores, mas sim, desejam implementar em estilos de vida a importância daquela empresa.

De certa forma, é como se o branding de uma marca fosse até mais valioso de apenas um serviço ou produto que ela entrega.

Sendo então, uma maneira de agregar algum sentimento ou alguma experiência que diferencie aquela marca de outro setor como um alvará de táxi, por exemplo.

Dessa forma, vemos que o co-branding é uma forma de praticar esse trabalho através de uma atuação conjunta, onde duas empresas trabalham com suas próprias identidades e ferramentas, focando em um objetivo que gere uma experiência diferenciada.

Muitas vezes, por ser uma situação diferente ou simbólica, como uma marca atrativa para o público se juntando para uma parceira com alguma outra que entregue esse mesmo valor para o público, o co-branding pode até mesmo se tornar um acontecimento.

Por exemplo, vemos muito isso quando uma grande empresa de um setor específico, como uma marca de roupas nacional, se junta a outra marca relacionada à decoração para criar um estilo de espelho decorativo sala de jantar próprio para aqueles consumidores.

Dessa maneira, ambas as empresas utilizam suas forças e seus públicos fiéis para se relacionar e iniciar um projeto, onde poderão aumentar sua relevância com os clientes do parceiro, criando então um apoio baseado em uma estratégia de atuação no mercado.

Muitas pessoas também podem confundir essa técnica de trabalho conjunto por meio do co-marketing, algo similar a essa estratégia, mas tendo um foco na comunicação e no marketing de ambas as empresas, que compartilham a divulgação de suas campanhas.

Quais as principais vantagens dessa prática?

As estratégias de co-branding tem quase sempre grandes resultados, isto porque, para além do produto ou serviço que estão lançando juntas, as empresas já se destacam somente pela ideia de atuação e a novidade que trazem para o mercado.

São alguns:

  1. Melhoria do alcance da marca;
  2. Maior credibilidade no mercado;
  3. Expansão das atividades;
  4. Aumento da lucratividade.

No entanto, o destaque é o reconhecimento como uma novidade interessante é somente a ponta do iceberg em relação às vantagens vistas por essa prática.

De uma maneira geral, o que faz com que essa atuação conjunta seja tão importante e tão essencial.

É importante começar pontuando que, para que essas marcas passem a fazer esse trabalho de integração de trabalhos, é preciso que alguns pontos estejam alinhados, como no caso a similaridade ou proximidade dos públicos, bem como aqueles que se deseja.

Por exemplo, em uma ação de co-branding uma empresa de reforma de fachada e uma construtora lançam uma parceria para a reformulação de um parque privado em uma cidade.

Ambas atuam em um mesmo nicho, porém, com públicos diferenciados.

Essa técnica de branding só se torna mais interessante para as empresas porque, uma das principais vantagens e também desejos com o co-branding é de que cada uma atinja o público exato da outra, algo que acontece como uma troca de favores.

Caso acontecesse o contrário ou nem mesmo ocorresse essa integração e direcionamento certeiro para o público desejado, talvez a forma de trabalho pudesse não ser relevante, visto que um dos principais benefícios não poderiam acontecer com exatidão.

Outro tipo de vantagens percebida dentro do processo de co-branding é a forma como essas empresas podem trabalhar juntas as estratégias para expandirem suas atuações em novos mercados, algo muitas vezes esperado e sonhado por vários tipos de marcas.

Isso vem atrelado a um outro benefício, que é o aumento do alcance de clientes que uma marca tem, já que por meio de um novo e fiel público, essa empresa poderá começar a ter um outro tipo de suporte para o lançamento de um novo produto ou serviço.

Um bom exemplo disso são empresas de persiana sala apartamento que passam a ter públicos cada vez mais próximos da idealização de um novo re-branding, por meio da parceria com uma empresa de móveis planejados em uma cidade.

Com os clientes que foram ganhos com essa troca de forças e com a parceria em um lançamento de produto, essa empresa pode ter a força que precisava para caminhar dentro de um novo mercado, futuramente, sozinha e com todo o suporte necessário.

1- Possibilidade de conceber o co-branding do seu modo

Ainda que o co-branding seja uma forma inteligente e interessante de lançar um novo produto ou serviço em parceria, uma série de cuidados devem ser tomados para que as empresas trabalhem corretamente a concepção, o início, meio e fim da parceria.

Para isso, uma série de precauções devem ser tomadas, algumas delas sendo as maiores preocupações e focos de empresas que fazem esse trabalho conjunto.

Sendo necessária uma boa dose de compreensão de mercado, mas também da própria empresa. São elas:

2- Entendimento sobre seu público e segmentação

Antes de partir para um projeto de parceria, empresas devem sempre ter o máximo de entendimento de si e de seus públicos, para que depois possam se envolver com outras empresas que vão trabalhar em um co-branding, como em um check up geral.

Lembre-se que aquilo que será vendido vai atingir o seu público e ainda que seja para atingir outro público também, é preciso tomar cuidado para saber se vai haver uma sincronicidade entre esses dois tipos de segmentos, entendendo os riscos.

Dessa maneira, tudo fica mais fácil de trabalhar com outra empresa, que virá com um segmento diferente, mas que pode ser conflitante ou não com o seu.

Por essas e outras, o entendimento próprio e primeiro é sempre a opção mais sensata nessa ocasião.

3- Escolha do parceiro ideal

Assim como você entendeu o seu público e o seu segmento profundamente, procure fazer uma vasta pesquisa sobre a empresa que poderá ser sua parceira, entendendo o máximo possível sobre seus pontos positivos e negativos, essenciais para a parceria dar certo.

É essencial que as empresas trabalhem de maneira conjunta em busca do lançamento de um produto ou serviço em conjunto, sabendo exatamente o que as empresas parceiras à elas podem agregar para essa relação ser ao máximo proveitosa.

Como no caso de empresas de limpeza de bancos automotivos que fazem parcerias com empresas de aplicativo de carros, porque aquela companhia, por meio de pesquisas, se mostrou mais popular para os clientes da companhia.

4- Definições da parceria em conjunto

Dentro de um trabalho de parceria para lançamento de novos produtos e serviços em um co-branding, muitos trabalhos relacionados à concepção e à campanha devem ser bem divididos e definidos entre si, como no caso de:

  • Divulgação;
  • Identidade;
  • Auxílio Financeiro;
  • Pesquisa de público.

É ideal que cada parte fique com uma parte do processo e esteja por dentro daquilo que precisam focar para que a parceria aconteça de maneira própria, como em uma empresa de manutenção elétrica industrial que trabalha com uma construtora.

Considerações finais

O co-branding é uma maneira eficiente de empresas erguerem suas forças para alcançar novos objetivos, relacionados à atuação que desejam com seus públicos ou até mesmo no lançamento de um novo produto ou serviço para o segmento de atuação.

De forma organizada e bem estruturada, é possível utilizar essa estratégia para fazer com que as empresas se unem para alcançar objetivos próprios de expansão ou alcance de novos públicos, fazendo a cooperação ser o início de uma grande parceria.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.