Gestão em tempos de crise

Gestão em tempos de crise

Gestão em tempos de crise

Como fazer a gestão em tempos de crise?

Todo empresário se pergunta o que fazer em tempos de crise”? e a reposta é: esteja preparado para ela, tenha as informações ao seu alcance e de forma rápida.

Existem empresas que isto é muito simples, pois já possui uma organização e softwares de gestão. Já em outras empresas, essa visão gerencial e definição de estratégia da empresa é algo novo e desconhecido.

Como sabemos uma crise não surge de repente e não fica apenas alguns meses, normalmente seus impactos crescem durante três, quatro, cinco anos ou mais e quando falamos de sobrevivência do seu negócio, é primordial preservar elementos que estão 100% ligados à essa tarefa.

É preciso analisar bem para reduzir custos diretos ou indiretos. Saber quais despesas são relevantes e quais são irrelevantes é uma tarefa “necessária”.

Gestão Financeira em momentos de crise

Abaixo 3 itens para ajudar a empresa no quesito financeiro em tempos de crise:

1- Use a ferramenta de Fluxo de Caixa:

O fluxo de caixa é um relatório de analise constante, principalmente em tempos de crise, já que o mesmo ajuda a identificar as ocorrências das entradas e saídas de dinheiro no caixa da empresa. Saiba mais clicando aqui.
Empresas que não controlam seu fluxo de caixa e se baseiam a saúde financeira pelo fato de ter um saldo positivo na conta corrente e se preocupam apenas em vender e não em planejar-se estão a mercê da crise, pois quando os sinais, mesmo que tímidos, começam aparecer as empresas que fazem o controle de fluxo de caixa percebem e começam a tomar providencias já as que não possuem terão uma reação tardia e consequências muito mais difíceis de contornar. Algumas providências que as empresa que possuem um controle de fluxo de caixa realizam:

  • Consultar o controle de estoque para analisar quais produtos não estão vendendo e realizar promoções;
  • Analisar no controle de compras para fazer compras menores e com prazos de pagamentos mais flexíveis;
  • Analisar no Fluxo de Caixa previsto o impacto de uma compra antes mesmo de concluir a negociação;
  • Consultar seu contador para saber sobre tributos, créditos de impostos, incentivos fiscais possíveis de aplicar, entre outras decisões prudentes.
2 – Agrupe as contas:

Agrupar as contas proporciona uma visualização sintetizada e fácil para definição dos custos que podem ser cortados. Em termos técnicos, isso se chama gastos discricionários (que não afetam o seu resultado ou atividade econômica). Exemplos: patrocínios e confraternizações.

3 – Altere a ocorrência dos custos:

Veja quais custos fixos podem virar custos variáveis. Custos fixos não administrados corretamente podem ser um grande problema, por isso, analise com frieza quais são possível cortar do orçamento.
Exemplo: Se na sua empresa possuir um café da tarde onde compra pães para os funcionários e diariamente sobra pães, comece a verificar quantos funcionários tem no dia e qual funcionário quer e qual não quer (sugestão: ao entrar deixe uma lista ao lado do ponto para passarem essa informação).

Em tempos de crise negociar é muito importante, é o momento em que você pode estar sem recursos financeiros para saldar as dividas e ainda sim precisa continuar comprando dos mesmos que você deve

Gestão de funcionários em momentos de crise

A crise é passageira? Analise bem, pois cortar pessoal deve ser uma opção bem pensada, faça de tudo para não demitir sem real necessidade. Por mais difícil que o cenário esteja, pense muito antes de demitir, faça cálculos, analise a probabilidade da sua empresa voltar a crescer ou se manter na época de turbulências.

Abaixo 3 itens para ajudar a empresa no quesito recursos humanos em tempos de crise:

1- Demissão:

Para demitir é preciso ter cuidado para não gerar custos em momentos errados e acabar gerando dois custos como os pagamentos de indenizações rescisórias e depois ao contratar, todo custo de treinamento dos novos funcionários.
Muitas vezes é preciso e por isso todas as atividades que não estejam ligadas diretamente com a sua rentabilidade, trate de demitir. Mas seja muito cuidadoso ao demitir os funcionários que proporcionam rentabilidade para a empresa.

2- Férias coletivas:

Se as vendas não estão sendo suficiente para manter a produção em alta dê as férias coletivas, afinal o capital humano é muito importante e pra muitas empresas o item mais custoso e a demissão e pode não ser a solução. Veja as vantagens:

  • Diminui o valor a ser pago em caso demissões;
  • Os funcionários poderão descansar para trabalharem com mais empenho ao retornarem (é o que esperamos);
  • Redução de custos com refeições e transporte dos funcionários;
  • Se ganha tempo para analisar o mercado e tomar decisões;
3- Demissões pontuais:

Em época de crise muitos são os motivos para as pessoas ficarem desempregadas e pode ser que um funcionário bom fique desempregado é nesse momento em que se demite o funcionário ruim ou mediano para contratar um que irá agregar mais a equipe, apesar de gerar custos, pode ser um custo que ajude a empresa a retomar o crescimento. Avalie.

Se precisar de um sistema para gestão de funcionários acesse aqui!

Negociando com fornecedores em momentos de crise

Em tempos de crise negociar é muito importante, é o momento em que você pode estar sem recursos financeiros para cumprir com seu contas a pagar e ainda assim precisar continuar comprando dos mesmos que você deve. O importante é que seus  fornecedores podem estar na mesma situação e se sua empresa apresentar um planejamento de pagamento e formas de pagar é possível que se consiga prazo para pagar e gere um “pulmão” para “respirar” por um tempo maior.

Se de um lado não esteja recebendo, por outro, se pode ter mais chances de negociar os prazos com os fornecedores. Se possuir dívidas com bancos, tente negociar para estender o prazo ou aumentar o número de parcelas. Não resolverá o problema, mas com a correta analise do fluxo de caixa sua empresa terá melhores resultado para enfrentar a crise.

É bom lembrarmos que é muito importante manter o CNPJ livre de restrições de crédito e de impostos atrasados, afinal a crise deverá passar e essas restrições podem causar um problema muito além da crise principalmente para empresas que precisam constantemente de certidões para participação em concorrências.

 

Manual de rotinas financeiras

 

 

(Linhares-ES, 26 de Fevereiro de 1992) Analista de sistemas na empresa INNET soluções com experiência na área Fiscal e Informática a 04 anos

Sem cometários

Poste um comentário

Comentário
Nome
Email
Website