10 dicas para pequenas empresas

dicas para pequenas empresas

10 dicas para pequenas empresas

1. Divida suas tarefas em pequenas tarefas

É necessário ter em mente que fazer uma empresa crescer e desenvolver leva tempo, sendo preciso sempre manter a calma e ter paciência. Noites mal dormidas causadas por preocupações não ajudarão em nada. Por isso busque sempre planejar as tarefas para o crescimento e mantenha o monitoramento das mesmas, preocupe-se com pequenas tarefas se as mesmas não forem cumpridas, pois será mais fácil e rápido resolver as pequenas tarefas do que resolver a única tarefa de “crescer a empresa”.

 

2. Faça Benchmarking

Muitas empresas se incomodam em copiar de outras empresas, mas não conseguem, por falta de tempo ou recursos, desenvolverem inovações e por isso deixam de evoluir. Uma boa sugestão é realizar o processo de Benchmarking que visa ver o que a empresa está fazendo aprimorar e fazer melhor, é buscar lições de práticas aplicadas por outras empresas e aprender com suas histórias de crescimento – lembrando sempre que, por melhores que sejam as práticas, elas na maioria das vezes precisam ser adaptadas à sua realidade para que possam ser bem implantadas e aproveitadas.

 

3. Defina Metas

Defina as metas da empresa em metas de curto, médio e longo prazo. Além de ajudar a dividir as tarefas em tarefas menores é a partir daí que poderão ser identificadas quais outras ações necessárias serão tomadas, de modo a atingir os objetivos da empresa e consequentemente fazer com que a micro ou pequena empresa se transforme em uma grande empresa.

Sem planos, a empresa está destinada a não chegar a lugar nenhum ou, na pior das hipóteses, falir. Um bom crescimento se faz a partir de objetivos a serem alcançados.

 

4. Busque o equilíbrio financeiro da sua empresa

Tenha as informações definidas de quais são as despesas que empresa possui mensalmente e como e quando as receitas chegarão à empresa e a partir daí faça os ajustes necessários. Um cronograma de pagamentos e recebimentos é uma boa sugestão para perceber se como está o andamento do financeiro. Esse cronograma é chamado de fluxo de caixa e ele será a base em todas as decisões envolvendo investimentos (ou compra de produtos).

Defina também qual será o capital de giro, ele é mais necessário do que pode parecer, mesmo nas micro e pequenas empresas. Preocupe-se também a inadimplência, em manter o equilíbrio entre os prazos de pagamentos e recebimentos, evitar desperdícios nas operações e fique atento ao giro dos estoques.

 

5. Invista nos Recursos Humanos

Uma das partes mais importantes da empresa são os funcionários e por isso procure identificar quais são os talentos de seus funcionários de modo que possam auxiliar a empresa onde são melhores. Escolher os funcionários certos para as funções certas são um dos recursos que podem fazer a empresa crescer rapidamente e bem.

Não tenha medo de investir em políticas diferenciadas de recursos humanos, busque ir além do básico de folha de pagamento, demissões e contratações. Não utilize como critério de contratação o mais baixo salário que conseguir pagar, essa com o passar do tempo pode se mostrar uma economia “burra”, pois a economia momentânea implica, muitas vezes, em baixa produtividade e falta de qualidade no trabalho.

Analise o candidato pelas qualidades como pessoa para o cargo, aquelas que veem com o candidato, pois após a contratação ele deverá ter o treinamento necessário. Nem sempre as pessoas sabem exatamente o que fazer ou como fazer mesmo nas funções mais simples e tenha em mente que o custo envolvido na reposição de uns funcionários é maior do que a concessão de alguns benefícios.

Busque o diferencial perante os concorrentes, pois somente os conhecendo poderá saber as ações a serem tomadas para agregar valor ao próprio trabalho da sua empresa, diferenciando-o de forma que os clientes possuam motivos para buscar a sua empresa em vez da empresa do concorrente.

 

6. Busque sempre o Lucro!

Para que sua empresa possa crescer, é fundamental que ela possua lucratividade. Por isso, tenha sempre o lucro como objetivo, mas o objetivo é o “fim” que deve ter uma atenção aos “meios”, buque o lucro reformulando procedimentos, definindo estratégias diferentes e até mesmo delegando poderes/obrigações aos funcionários certos da empresa.

Fique atento na sua empresa o que pode estar causando desperdícios seja de tempo, de materiais ou mesmo das pessoas, tanto dos funcionários quanto dos clientes. A empresa tem que funcionar como uma máquina perfeitamente ajustada para que possa obter lucro e continuar a crescer mesmo em tempos de crise.

 

7. Separe os recursos financeiros da empresa e os do proprietário

Prática muito comum entre empresas que não possuem sócios é pegar o dinheiro do caixa sem dar os devidos registros. Para a empresa saber se é rentável, é necessário que o caixa da empresa e o “caixa” do proprietário sejam coisas distintas, com limites bem definidos, pois  a empresa não pode funcionar como banco de crédito ilimitado para seu dono.

Além de prejudicar a contabilidade do negócio, a mistura pode gerar problemas tributários para a empresa e para a pessoa física, caso haja o entendimento por parte do fisco que impostos estão sendo sonegados.

Estabeleça um pró-labore fixo e se surgirem despesas pessoais inesperadas, faça como qualquer assalariado: dê um jeito ou deixe para o mês seguinte.

 

8. Não tema a concorrência

Conheça seus concorrentes, saiba quem são, o que fazem e como fazem e seja melhor do que eles. Não os imite, mas apreenda com eles. Relacione-se com eles se possível, muitas vezes um bom relacionamento com seu concorrente pode render bons negócios em parceria.

Busque o diferencial perante os concorrentes, pois somente os conhecendo poderá saber as ações a serem tomadas para agregar valor ao próprio trabalho da sua empresa, diferenciando-o de forma que os clientes possuam motivos para buscar a sua empresa em vez da empresa do concorrente.

 

9. Saiba o que ocorre no setor fiscal da empresa

O setor fiscal da empresa possui muitos termos fiscais que pequenos empresários desconhecem e por isso não fazem a mínima noção do que ocorre na empresa por achar que o contador que muitas vezes é terceirizado e que trabalha em outro local e só conhece a sua empresa através de documentos irá estar antenado a tudo. Por isso fique de olho, muitas empresas pagam mais impostos do que realmente precisam.

 

10. Foque na satisfação do cliente

Busque sempre atender o cliente da melhor maneira possível: é ele quem vai proporcionar renda e lucro à empresa, e um cliente satisfeito sempre volta e muitas vezes trazem outros. Tem um ditado que diz: “Um clientes satisfeito conta pra uma pessoa, mas um cliente insatisfeito, conta pra dez” e por isso não os ignore; busque conversar com os clientes, compreender os problemas e solicitações, entender os questionamentos da perspectiva dele e se reclamar faça de tudo para solucionar a reclamação.

Conversas e pesquisas podem trazer ideias para mudanças ou inovações na empresa, de modo a alavancar ainda mais os seus negócios, facilitando o processo de conquistar novos clientes e, consequentemente, aumentando os lucros futuros.

 

conheça nossos softwares